COMBOIOS A PONTOS


A petrolífera nacional propõe que troquemos os pontos obtidos com a compra dos seus produtos por bilhetes de comboio. Imaginem!

Uma empresa que vive de nos vender o produto que tantas guerras tem causado no mundo, que gere a economia e digere as nossas economias, quer que deixemos o carro em casa e tomemos o comboio?

Convenhamos que isso é um pouco estranho. Vejamos: temos o cartão cheio de pontos porque os acumulámos a encher e depósito do carro com combustível; vamos a um posto e trocamos os pontos por viagens de comboio; tomamos-lhe o gosto e continuamos a andar de comboio mesmo depois dos pontos acabarem.

Como é que lhes fica o negócio? Então mas eles não vivem de carregar-nos os cartões de pontos e de esvaziar-nos os bolsos de sonhos? Então mas as filas intermináveis a que se sujeita diariamente grande parte da população que ainda vai tendo emprego, não são o garante do negócio destes senhores?

Só falta daqui nada a GALP estar a investir em transportes suburbanos de qualidade, eficazes e eficientes, que consigam mover o pêndulo da massa humana a caminho do ganha-pão sem precisão da lata individual.

E com os pontos por junto conseguidos ao fim do ano no passe da CP, ainda nos oferecem uma bicicleta! Ele há coisas…

Advertisements

3 Respostas to “COMBOIOS A PONTOS”

  1. Miguel Cabeça Says:

    Realmente é uma vergonha! Seria muito mais útil oferecerem passes de estacionamento grátis no Colombo ou passes mensais de portagens gratuitas ou quem sabe dísticos que permitam usar as faixas de BUS. Isso sim seria uma acção com visibilidade.

    Bilhetes de comboio?!?! Que raio de ideia. É mesmo só para parecer bem nas notícias.

    ;-)

    Miguel Cabeça

  2. Não acho que seja uma má ideia. Nem para os motoristas – alvo da campanha, nem para a Galp – é um bom greenwashing. Eles sabem perfeitamente que os TP não oferecem concorrência forte em Portugal, na maior parte dos casos. Eles sabem perfeitamente que para os TP serem competitivos com o automóvel particular (ou o andar a pé ou de bicicleta) não basta incentivos para usar os TP, é preciso incentivos para não usar o carro, ou seja, restrições ao mesmo. E isso não se vê muito por cá, pelo contrário: mais estradas, mais estacionamento (e gratuito, muitas vezes), fiscalização inexistente, aplicação frouxa da lei, desresponsabilização dos motoristas, etc, etc. Eles podem assim oferecer a cenoura, look good, e saber que isso não muda nada (logo, não lhes afecta o negócio), porque não há pau coordenado com a cenoura…

    • A ideia é original e é até uma boa ideia no que à consequência concerne. Mais pessoas a deixar o carro em casa e a optar pelo comboio.
      O fantástico é ser uma empresa cujo negócio está nas antípodas do objectivo que propõe. Chega quase a ser incongruente ver uma petrolífera promover um transporte alternativo num país em que o Estado, como nota a Ana, se ausentou da promoção da mobilidade saudável e sustentada.
      Pode dizer-se que a GALP promove mais o comboio que os próprios donos da CP!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: